Esforço repetido durante o treino (Tendinite)

Durante os treinos, os atletas executam muitos movimentos repetidos tendo por objetivo melhorar detalhes próprios da sua modalidade.

Um atleta de triplo salto irá executar, vezes sem conta, os passos do movimento de chamada. Um sprinter de 100m irá repetir incontáveis vezes o momento da partida.

Mas existe o reverso da medalha: a tendinite de repetição.

Ocorre devido à repetição excessiva de determinado movimento muscular.

E isso não é exclusivo de atletas.

O esforço repetido acaba por inflamar, inicialmente, a parte externa do tendão, a bainha, podendo também designar-se por tenossinovite. Posteriormente irá inflamar o tendão.

Inicia-se um incómodo que se transformará em dor e gradualmente irá evoluir até que seja insuportável executar o movimento.

A tendinite pode levar então a que o movimento esteja comprometido.

A presença de dor vai alterar a função levando a uma série de compensações que, por sua vez, trarão outras complicações em outras zonas do corpo.

A chave da prevenção é parar a tensão no seu início. Forçar, só piora a situação.

A massagem regular tem aqui um papel fundamental na prevenção, ajudando a evitar as tensões que irão acabar em tendinites.

Os músculos ligam-se aos tendões e estes aos ossos. Músculos e tendões trabalham em conjunto para movimentar o corpo e depois de um dia de treino estão em fadiga. Sem descanso, alongamento e/ou massagem, permanecem em tensão criando uma irritação nos seus conetores.

Quando se alonga e massaja os músculos e tendões, depois de um treino, os conetores relaxam e a irritação e inflamação são praticamente eliminadas.

Contudo a massagem é mais do que achar os pontos doloridos e friccioná-los. Os propósitos e efeitos da massagem poderão variar, mas o mais importante no caso da prevenção é simplesmente fazê-la.

A massagem por envolver a manipulação da pele e músculos ajuda o sangue a fluir e aumenta a sua capacidade de oxigenação de 10% à 15%.

Relaxa os músculos contraídos e quando combinado com descanso acelera a sua recuperação de 25% a 100%. Elimina toxinas, as quais limitam a flexibilidade e o desempenho muscular.

Se não tratar uma tendinite e insistir que com o tempo tudo voltará ao normal, apenas se engana a si próprio. O seu corpo irá continuar a reagir e acabará por transformar a tendinite numa tendinose, bem mais grave, podendo inclusive levar à rotura parcial ou total do tendão.

Nessa altura, só a cirurgia resolverá o problema.

Não maltrate o seu corpo. É o único que tem. Previna-se!