História

A massagem é uma das mais antigas formas de terapia e um método fundamental no alívio da dor, relaxamento, estimulação e recuperação muscular, quer a nível preventivo, quer terapêutico.

A técnica de massagem é milenar e uma das referências mais antigas remonta a 3000 a.C, na China, ao livro "The Cong-Fou of the Tao-Tse" posteriormente traduzido por dois missionários Hue e Amiot, e que criaram um grande interesse e influência no pensamento de muitos percursores da massoterapia.

Os Chineses, em 1800 a.C. reconheciam que a arte de friccionar o corpo adequadamente, podia conduzir a uma melhoria significativa, até à cura, acabando por incluír essa técnica na medicina chinesa e aprimorando-a até aos nossos dias.

Na Índia é praticada há cerca de 7 mil anos. Um dos mais antigos sistemas medicinais da humanidade, a massagem Ayurvédica (reconhecida pela Organização Mundial de Saúde), continua a ser a medicina oficial na Índia e tem-se difundido por todo o mundo como uma técnica eficaz de medicina tradicional, sendo intensamente praticada por psicólogos e fisioterapeutas. Considerada como a mãe da medicina, os seus princípios e estudos foram a base para o desenvolvimento da medicina tradicional chinesa, árabe, romana e grega.

Em 326 a.C. os Gregos aprenderam a massagem Ayurvédica a partir da Índia.

Médicos da Roma e da Grécia antigas, como Hipócrates - o pai da medicina - e Galeno usavam a massagem como uma das suas armas terapêuticas, principalmente na área de preparação desportiva e tratamentos físicos.

Os gregos usavam a massagem nas Olimpíadas para aliviar dores e aumentar a recuperação muscular dos atletas.

O primeiro relato de manipulação conhecido foi feito por Hipócrates (460-355 a.C.). Escreveu 3 trabalhos onde descreve técnicas combinadas de tracção e pressão na coluna do paciente em decúbito dorsal.

No séc. VI, através da Coreia, os conhecimentos Chineses são introduzidos no Japão dando origem ao desenvolvimento do Shiatsu.

O primeiro relato de manipulação conhecido foi feito por Hipócrates (460-355 a.C.). Escreveu 3 trabalhos onde descreve técnicas combinadas de tracção e pressão na coluna do paciente em decúbito dorsal.

A massagem ficou famosa na Europa no século XIX, vinda da Suécia onde o esgrimista Per Henrik Ling criou o Real Instituto de Ginástica, para desenvolver técnicas de tratamento para problemas músculo-esqueléticos. Nesse instituto foi criada a massagem sueca, que depois se popularizou no resto do continente europeu como massagem ocidental.

Mas a massagem já era conhecida na Europa, desde a antiguidade, só que não contava com uma sistematização, um nome, e a organização de publicações, como no trabalho realizado por Ling. Os princípios básicos sistematizados são: a reabilitação dos sistemas ósseo, articular e muscular e a estimulação dos sistemas circulatório e linfático.

A partir desses princípios, no século XX, houve um aprimoramento de técnicas, desenvolvendo-se o conceito de reorganização das estruturas físicas e a sua relação com o aspecto psíquico. Tecnicamente foram valorizados o toque no tecido conjuntivo, a atuação no sistema nervoso (relaxamento) e a consciência do corpo e movimento.

Um dos primeiros registos da palavra massagem e da descrição da sua aplicação foi descoberto em textos provenientes da antiga Mesopotâmia, concretamente, num livro escrito em sumério e acádico, intitulado Mushu'u (que significa massagens).

Hoje em dia escolas orientais, como o Shiatsu, a Tui-Na e a massagem Ayurvédica, são as correntes mais fortes de massagem que existem no mundo em termos de fama, aceitação e número de praticantes.